MOTOTAXISTAS : Uso do capacete compartilhado pode ser vetor na transmissão do Coronavírus

0
Compartilhe
Nos últimos três meses , uma palavra entrou no vocabulário de todo o brasileiro: Covid -19, o novo Coronavírus.
 
Essa doença, até então desconhecida para grande parte do mundo, passou a trazer muito medo nas cidades, mudando completamente a forma com que nos relacionamos.
 
Abraços, apertos de mão ou beijos na bochecha passaram a se tornar símbolos de transmissão da doença e, por isso, dignos de serem evitados.
 
No meio disso, mototaxistas, profissionais que estão em constante relação com dezenas de pessoas diariamente, tornaram-se alvo da doença ou vetores do vírus em todos os aspectos, além de não poder manter uma distanciamento  de 1,5 do passageiro ainda tem o compartilhamento do capacete sem nenhuma proteção.
 
Quase nenhuma cidade do estado do Ceara tem discutido ou criado regras para esse transporte alternativo, o popular Mototaxi. Mesmo sendo o compartilhamento do capacete pelos passageiros do serviço é grave fator de risco para a disseminação da covid-19 nada foi discutido. O compartilhamento do capacete e a falta de ventilação podem ser complicadores na transmissão da doença. Quase nenhum profissional usa alcool em gel para oferecer aos seus clientes .
 
Algumas cidades tem adotados medidas para proteger os usuários como pro exemplo: usuários dos serviços de mototáxi estão proibidos de compartilhar capacete. O trânsito dos veículos não está impedido, mesmo sem poder manter um distanciamento, no entanto, o cliente terá que levar seu próprio capacete. A medida é uma forma de prevenir a contaminação pelo coronavírus (Covid 19).
Os prestadores de serviço devem recusar corridas em que o cliente não tenha o equipamento de proteção. Já outras cidades liberaram o uso do capacete para os clientes que transitam pelo centro das cidades .
 
Se, por um lado, esse contato direto com as pessoas pode contribuir para uma contaminação desses profissionais e clientes, por outro, as medidas preventivas de isolamento representam menos pessoas na rua e logo, queda nos ganhos de quem dirige.
 
É necessário se discutir o assunto com máxima urgência pelo poder publico  neste momento tão crucial para se decidir normas  e regras para que essa classe possa continuar exercendo sua atividade.

DHomem

Deixe um comentário