Mesmo contrariando estudos, planos de saúde orientam médicos a receitarem cloroquina

0
Compartilhe

Mesmo após estudos científicos respeitados apontando que a cloroquina não é eficaz e traz riscos em alguns casos para pacientes com o novo coronavírus, planos de saúde estão orientando e até pressionando médicos a receitarem a substância.

Segundo reportagem do UOL, Prevent Senior, Hapvida e planos do sistema Unimed estão entre as operadoras que adotam tal prática.

Essa orientação segue as novas diretrizes do Ministério da Saúde, que passou a recomendar a cloroquina para casos leves de Covid-19. Porém, vai na contramão das recomendações da Organização Mundial da Saúde, que suspendeu todos os testes com a substância desde segunda-feira.

A decisão foi baseada num estudo da revista médica The Lancet, uma das mais respeitadas do mundo. A publicação divulgou que a taxa de óbitos entre pacientes internados que usaram os medicamentos era maior do que a dos que não usaram.

Representantes dos planos de saúde ouvidos pelo UOL afirmam que os estudos divulgados tratam apenas de casos graves, e não os leves – e esses últimos são os que mais recebem a receita para tomar a substância, de acordo com as empresas.

As operadoras admitiram que o uso precoce da cloroquina e hidroxicloroquina não foi avaliado cientificamente, mas defenderam o protocolo do Ministério da Saúde e disseram que ele é seguro se feito sob supervisão médica.

yahoo


DHomem

Deixe um comentário