Ceará registra queda de quase 82% no número de casos de H1N1 em 2020

0
Compartilhe

Enquanto registrava casos de Covid-19, o Ceará anotou uma queda 81,9% nas ocorrências de H1N1 até o mês de setembro. Se nos primeiros nove meses deste ano foram 19 ocorrências, em 2019, o número chegou a 105. Os dados são da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).

Somando 11 casos, março foi o mês com maior número de diagnósticos do vírus influenza, seguido por fevereiro (5), janeiro (2) e maio (1). Nos demais meses, cinco ao todo, não foram contabilizadas novas notificações.

No ano passado, porém, somente janeiro e setembro não tiveram registros. Durante o período sazonal, quando há alta dos números, a doença marcou 11 casos em março; 26 em abril; 44 em maio e 15 em junho. Na sequência estão julho (7), além de fevereiro e agosto com um caso cada.

Segundo a infectologista Mônica Façanha, professora do Departamento de Saúde Comunitária da Universidade Federal do Ceará (UFC), o uso da máscara contribuiu para a diminuição nos casos da doença. Enquanto algumas práticas precisaram ser suspensas com a chegada da Covid-19, como festas e aglomerações, outras passaram a ser regra, como o distanciamento social e o uso de máscara. “Com certeza o uso de máscara contribuiu para a redução da transmissão”, diz.

No entanto, a médica aponta que, para além do uso de máscara, outros fatores também podem ter contribuído, como a subnotificação dos casos. “Os olhares estão todos para pesquisar Covid-19, então é possível que algum caso de H1N1 tenha passado sem que tenha sido feito a pesquisa para o diagnóstico, porque como os quadros podem se superpor, pode ter sido interpretado como Covid-19 e ser H1N1”, explica.

Além disso, também pondera que o aumento na área de cobertura da vacina contra H1N1 também pode ter influenciado nesses índices. De acordo com a Sesa, cerca de 2,56 milhões de doses da vacina foram aplicadas no Ceará em 2019, correspondendo a 94,94% da cobertura vacinal, enquanto neste ano, foram aplicadas aproximadamente 2,9 milhões de doses abrangendo 96,98% da meta.

Campanha

Por orientação do Ministério da Saúde, o Ceará antecipou a campanha de vacinação contra a gripe para o dia 23 de março. Segundo a coordenadora de Imunização da Sesa, Carmem Osterno, três grupos atingiram 100% de cobertura vacinal: profissionais de saúde, idosos e indígenas. Cerca de 95% das crianças foram alcançadas. Já o de gestantes e puérperas ficou entre 80% e 90% da meta.

Para Carmem, o alcance deste ano poderá repercutir positivamente na próxima campanha vacinal. “Quanto mais vacinados, menor o risco de adoecerem. Quanto mais você vacina, mais pessoas ficam imunizadas e automaticamente o vírus circula menos”, atesta.

Contudo, apesar do estado ter registrado essa queda nos últimos meses, as ocorrências podem voltar a subir caso o uso de máscara e a prática do distanciamento seja interrompida, conforme alerta Mônica Façanha. “O distanciamento vai ser útil enquanto estiver acontecendo. Ele não tem uma ação a longo prazo em termos de prevenção. A não ser que a ação se mantenha”, finaliza a infectologista.

Diário do Nordeste


DHomem

Deixe um comentário