Viúva e amante acusados da morte de policial civil serão julgados pelo tribunal do júri no Ceará

0
Compartilhe

senador-pompeuTrês pessoas acusadas de participar do assassinato do policial civil José Cláudio Nogueira, em agosto de 2016, serão levadas a júri popular pela Vara Única de Senador Pompeu, no interior do Ceará, cidade onde ocorreu o crime. Dentre os réus, está a ex-companheira da vítima, que foi presa acusada de encomendar a morte do agente.

Conforme o Ministério Público do Ceará (MPCE), o policial foi levado pela mulher ao local onde os outros dois envolvidos no crime estavam. A dupla abordou o carro da vítima, que estava sendo conduzido pela acusada, e atiraram em José Cláudio, simulando um assalto.

Após as investigações, o Ministério Público apontou que a mulher contratou os executores para cometer o assassinato com a finalidade de se apropriar da herança. Após o crime, a ex-companheira do policial civil entregou um cavalo de raça e um cheque de R$ 19 mil para um dos envolvidos, segundo denúncia do MPCE.

Acusações

Os três acusados foram denunciados por crime de homicídio, por motivo torpe (para obter herança) e recurso que impossibilitou a defesa da vítima (estava embriagada).

O juiz Wildemberg Ferreira de Sousa, titular da Vara Única de Senador Pompeu, decidiu submeter os acusados ao júri popular, mantendo as prisões preventivas da mulher e de um dos homem, que é apontado com amante da viúva. O outro aguardará julgamento em liberdade.

g1ce


DHomem

Deixe um comentário