PM morto em festa do acesso tricolor

0
Compartilhe

VIATURA-DA-POLICIA-MILITAR-1Soldado da Polícia Militar foi morto a tiros na madrugada de ontem durante a comemoração do acesso do time Fortaleza à Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol. Francisco Leandro Conceição Santana, 34, chegou a ser levado ao Instituto José Frota (IJF), no Centro, mas não resistiu aos ferimentos. Com o soldado, sobe para 25 o total de profissionais de segurança assassinados no Ceará somente em 2017. Até a noite de ontem, ninguém havia sido preso.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Santana estava acompanhado de amigos. Ele se dirigia a posto de combustíveis, localizado no cruzamento da avenida Francisco Sá com rua Padre Anchieta, no bairro Jacarecanga, quando um grupo criminoso em quatro motos teria abordado o carro particular do militar. O PM foi perseguido pelos criminosos, que passaram a atirar na direção do veículo. O policial chegou a revidar, disparando contra o grupo, mas foi atingido. Ele foi levado ao Instituto Doutor José Frota (IJF), mas não resistiu e morreu na unidade hospitalar.

As investigações do crime estão ao cargo da 11ª delegacia da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), unidade designada para apurar crimes contra profissionais de segurança do Estado.

Em nota, a SSPDS informou que diligências estão em andamento com o objetivo de apurar as circunstâncias do crime, e de identificar e prender os criminosos.

Serviços

O policial militar estava lotado na 2ª Companhia do 8º Batalhão de Polícia Militar e ingressou na Polícia Militar no dia 10 de junho de 2014.

Na nota, a SSPDS reconhece “os relevantes serviços prestados à sociedade cearense” pelo profissional de segurança e ressalta que “não medirá esforços para prender os responsáveis pela sua morte”.

O presidente da Associação dos Profissionais de Segurança do Ceará (APS), Reginauro Sousa, aponta não ter nenhum dado da investigação que possa sinalizar crime de execução. “Temos a infelicidade do fato de a criminalidade estar cada dia mais atuante. Quando os agentes da segurança pública são identificados, fica provado que o homicídio só ocorre por se tratar de um agente de segurança”, relata.

Os criminosos, ainda segundo Reginauro Sousa, não temem mais o poder das polícias. Em outras décadas, evitava-se atirar quando era identificado um profissional de segurança. “Hoje, esse agente é sumariamente assassinado e isso é lamentável. É preciso dar uma resposta à altura”, avisa. Para ele, seria necessário as polícias se anteciparem aos crimes, para prender os chefes das quadrilhas e diminuir o poder das facções.

Em sua página na rede social Facebook, o deputado estadual Capitão Wagner (PR) lamentou a perda de “mais um irmão de farda”. “O sentimento de revolta continua. Quantos irmãos ainda teremos que perder? Quantas pessoas têm que pagar pela falta de coragem do Governo do Ceará em resolver o problema da segurança pública?”, questionou o deputado. Ele disse que, enquanto isso acontece, “amigos e familiares choramos a perda de mais um integrante das forças de segurança cearense”. Ele prestou ainda solidariedade à família e se comprometeu a cobrar “uma postura firme” do Executivo estadual.

 

Outras mortes

Francisco Arlindo da Silva Vieira Filho, PM (22/1); Ivan César Ferreira Lopes, guarda municipal (11/2); José Eudes de Sousa, PM (3/3); Francisco Eronilton de Queiroz, PM (5/3); José Gonçalves da Fonseca, guarda municipal (8/3); Luís Carlos Ribeiro de Araújo, PM (18/3); Francisco Luciano Ferreira Gadelha, bombeiro (22/3); Márcio Franklin Rodrigues Braz, PM (1/4); Menandro Cavalcante Nunes, PM (16/4); Paulo César Silva, PM (19/4); Francisco Gledson Matias, PM (3/5); Evandro Alves da Silva, guarda municipal (5/5); José Carlos Vasconcelos, PM (6/5); Antônio Tiago Nogueira Lima, PM (23/5); Izidório de Paiva Alves, PM (28/5); José Roger Marques da Penha, PM (14/6); Valdemiro Lopes da Silva, 63, PM (24/6); Domingos Herialdo Amorim de Oliveira, PM (29/6); Israel Vale Ramos, guarda municipal (19/7); Ezequiel Reinaldo da Silva Brito, guarda municipal (4/8); Herbert Hélio Ferreira Lima, PM (12/8); Edvaldo José Santana Flexa, PM (25/8); Luciano Félix da Silva, 55, PM (2/8); Luís Lourenço da Silva, PM (10/9); Francisco Leandro Conceição Santana, PM (24/9)

ANGÉLICA FEITOSA

O povo


DHomem

Deixe um comentário