Homem é preso por extorquir monsenhor que se enforcou em Quixadá

0
Compartilhe

igrejaA morte de um pároco, em Quixadá, na última sexta-feira (16), culminou na elucidação de um golpe milionário, e a prisão de um homem acusado de vários crimes, inclusive, de tentativa de extorsão do pároco diocesano Dom Ângelo Pignoli. As revelações foram feitas pelo titular da Delegacia Regional da Polícia Civil, Marcus Vinicius Damasceno, à frente das investigações.

De acordo com o delegado, o golpista, identificado como Leanderson Pereira Araújo, lesou da vítima, o monsenhor Luiz Orlando de Lima, 56, em mais de R$ 800 mil. Desesperado com a possibilidade de o fato se tornar um escândalo na Igreja, estando ele à frente da Paróquia de São Francisco de Assis, o pároco acabou se enforcando.

Antes de morrer a vítima deixou uma carta, com 18 páginas. No manuscrito revelava os motivos da sua morte e ainda as provas da “armadilha”, planejada pelo golpista, que se passando por assessor parlamentar de um deputado cearense, oferecia vantagens à paróquia, para a captação de recursos, através do Ministério do Turismo.

Empolgado com a ideia do criminoso, o pároco acabou se afundando em dívidas, contraindo empréstimos, inclusive com estelionatários, na esperança de conseguir a liberação dos recursos fantasiosos, da ordem de R$ 40 milhões. A própria família do gestor paroquial assumiu um empréstimo de R$ 500 mil para atender parte dos cobradores.

Não bastasse a ousadia do golpe, dois dias após a morte do pároco o estelionatário fez ameaças ao pároco, para a Diocese assumir as dívidas, ou, tornaria o caso um escândalo. O líder da Igreja não se intimidou e denunciou o caso na Delegacia. O suspeito foi preso, ontem, em Quixadá. Leanderson foi indiciado por furto, fraude processual e extorsão.


DHomem

Deixe um comentário