Governo planeja concursos para servidores até 2027

0
Compartilhe
LIVE FACEBOOK; © JOSÉ WAGNER/ GOV. DO CEARÁ;

LIVE FACEBOOK; © JOSÉ WAGNER/ GOV. DO CEARÁ;

O redimensionamento da força de trabalho do Ceará, por meio dos estudos do programa Planeja Gente, foi responsável pela abertura de novos concursos. O POVO apurou 3.110 novas vagas disponíveis para servidores. O Estado prevê mais até 2027.

“Provavelmente vai ter aumento (servidores). O que se projeta para os próximos dez anos, se não fizer concurso, é uma defasagem de 24,11%. A ideia, no entanto, é a reposição da força de trabalho levando em conta as demandas do serviço público e da sociedade”, diz Silvana Dourado, coordenadora de Gestão de Pessoas da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag).

Para dimensionar o quadro funcional, haverá reestruturação organizacional, melhora da tecnologia e adequação dos planos de cargos. “Tem categoria que já não tem mais espaço, mas que consta nos quadros, a de datilógrafo. No passado, todo profissional, para ser bem sucedido, tinha que ter um curso de datilografia, mas hoje em dia não tem mais função”, compara.

Sobre as funções defasadas, Silvana explica que o Governo só irá encerrá-las quando houver aposentadoria. “Tem de esperar vagar e quando o servidor se aposentar extingue. Mas o Estado também faz qualificação para que estas pessoas tenham outras atividades. Outro exemplo, assistente de telefonista, não tem mais esta função, e muito provavelmente em dez anos não vai ter mais”.

Também aponta que os primeiros resultados do estudo começam a aparecer, como os concursos de novembro do ano passado até 2018. “Através desse mapeamento identificamos alguns órgãos com a força de trabalho bastante precária. Um deles é a Secult (Secretaria de Cultura) que tem um quadro muito pequeno”, diz. Para o novo certame, com previsão para 132 vagas, foram consideradas necessidades “atuais” do órgão. “Entraram as vagas para Cinema e Audiovisual, Analista de Patrimônio, Engenharia de Patrimônio e Restauro. São profissionais antes inexistentes no quadro da Secult”, lista.

Apesar de previsão para os estudos serem entregues em outubro de 2018, medidas devem passar por aprovação da Assembleia Legislativa do Ceará. No entanto, não foram especificadas quais.

Iniciado em março de 2017, o diagnóstico da Seplag passará por “refinamento. “Neste mês, vamos nos dedicar a fazer a definição de carreiras e os planos de ação de cada secretaria. São 65 órgãos e entidades. Vamos trabalhar não somente o quantitativo, mas também a questão qualitativa”, afirma.

Colaborou Irna Cavalcante

 

EM CURSO

DEMANDAS IDENTIFICADAS PELO ELO GROUP

Funceme – Reposição do quadro técnico das áreas de Meteorologia e Recursos Hídricos.

Ematerce – Definição de concurso para reposição do quadro devido as aposentadorias. Estudo sobre a necessidade de entrada de novas categorias.

Seduc – Definição de concurso público para professores, para a reposição do quadro devido às aposentadorias.

Secult – Definição de concurso para reposição do quadro devido a aposentadorias. Novas áreas Analista de Cultura: Artes Cênicas / Teatro Artes Dramáticas, Dança, Artes Plásticas/Visuais, Analista de Cultura – Cinema e Audiovisual, Letras, Música, Pedagogia, Arquitetura, Analista de Patrimônio – Conservação/Restauração, Analista de Patrimônio – Engenharia Civil.

 

ANO ELEITORAL

Uma das dificuldades de aprovação das diretrizes do Planeja Gente na Assembleia Legislativa do Ceará é o período eleitoral. “Por ser um ano eleitoral, sabemos que é diferente, mas esperamos que seja votado após as eleições. Queremos deixar tudo pronto para o próximo Governo. A ideia é seguir com tudo modulado e algumas coisas acontecendo”, afirma Silvana Dourado.

Gastos com pessoal

O maior desafio do Estado é manter o gasto com pessoal abaixo de 46,44%. O percentual que o Ceará hoje mantém é da ordem de 44,45%. Na composição do quadro de funcionários do Governo, 44,5% são servidores de carreira, 17,3% terceirizados, 13,2% temporários, 7,5% de cooperativas, 6,9% agentes comunitários e de saúde, 4,8% comissionados, 2,1% comissionados exclusivos, 1,9% ONGs e 2,2% “outros”. 

ÁTILA VARELA

O povo


DHomem

Deixe um comentário