Depois de um bate-boca dentro da delegacia, delegado manda prender policial civil

0
Compartilhe

Independência-briga-500x329Uma discussão entre dois agentes da Segurança Pública terminou em prisão. Tudo aconteceu quando um delegado e um inspetor da Polícia Civil bateram boca dentro de uma delegacia do interior. Na confusão formada. O delegado deu voz de prisão ao policial por crime de desacato e ameaça. Para não ficar preso na própria delegacia onde trabalha, o policial teve que pagar uma fiança de R$ 3 mil, valor próximo ao seu salário de um mês de atividades.

O fato aconteceu na tarde desta segunda-feira (11)  na Delegacia de Polícia Civil da cidade de Independência (a 309Km de Fortaleza).  O delegado titular daquela unidade, Fernando Veiga, discutiu com o inspetor Rubens Duarte Gomes Fernandes. Por pouco, os dois não se engalfinharam em uma luta corporal dentro da delegacia.  O delegado acabou dando voz de prisão ao inspetor. E para não ficar preso, o policial pagou a fiança.

A discussão entre os dois servidores da Segurança Pública teria por motivo as investigações que a Polícia estaria fazendo em torno da morte de um homem preso durante uma operação realizada há duas semanas na vizinha cidade de Crateús. O homem morto seria parente do inspetor e o delegado estaria à frente das investigações. Foi quando surgiu o desentendimento.

O delegado afirma que o inspetor teria tentado sacar a arma (pistola) para atirar contra ele. O policial  nega, e diz que vem sendo pressionado pelo chefe. O caso agora vai parar na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD).

Outro delegado

Este foi o segundo episódio de violência envolvendo agentes da Segurança Pública em apenas três dias. Na noite do último sábado (9), um delegado foi preso em flagrante depois de se envolver em um acidente de trânsito no bairro Sabiaguaba (zona Leste de Fortaleza) e, na sequência, atirar em via pública, agredir populares e desacatar PMs que foram atender à ocorrência.

O delegado, identificado como José Maurício Vasconcelos Júnior, titular do 30º DP (Conjunto São Cristóvão), foi autuado em flagrante na Delegacia de Assuntos Internos (DAÍ), da CGD. Passou cerca   de 24 horas preso. Na noite de domingo (10), um juiz de plantão no Fórum Clóvis Bevilaqua, na Capital, concedeu-lhe liberdade provisória.

Ceara News7


DHomem

Deixe um comentário