Controladoria inicia investigação de policial de Paracuru

3
Compartilhe

1A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário do Ceará (CGD) deu início às investigações sobre o caso do jovem morto ao desviar de uma blitz em Paracuru, no último sábado. O autor do disparo é um cabo da PM.

 

Ao final das apurações, será sugerido ao controlador geral Servilho Silva de Paiva algum tipo de processo disciplinar contra o cabo da PM, explica a delegada da CGD, Adriana Câmara. “Será aplicado algum tipo de sanção, que poderá ser até expulsão (dos quadros da Polícia), dependendo do que for apurado. Mas não podemos antecipar”. As investigações preliminares devem ser concluídas até o fim da próxima semana.

 

Relações públicas da PM do Ceará, o tenente-coronel Fernando Albano completou que, quando a CGD receber relatório sobre o caso, será formado Conselho de Disciplina com três oficiais. Eles têm um prazo de 60 dias para concluir a investigação e decidir a qual sanção o cabo será submetido.

 

Cabo continua detido

O cabo da PM continua detido administrativamente no 5º Batalhão da Polícia Militar, no bairro José Bonifácio, em Fortaleza. “(No decorrer das investigações), ele fica afastado da atividade operacional. Ele deve ficar à disposição do Conselho, desempenhando atividade administrativa”, esclarece Albano.

 

Darlan de Castro Silva, 25 anos, foi baleado nas costas enquanto estava no banco traseiro de um carro que desviou de uma blitz. O cabo da Polícia Militar autor do disparo alegou que atirou acidentalmente, ao cair da motocicleta. Testemunhas que estavam no veículo negam a versão do PM e dizem que não houve perseguição.

 

Darlan era casado e pai de uma menina de seis anos. O corpo foi sepultado na tarde de domingo no cemitério de Paracuru. Ele trabalhava como motorista de uma loja de materiais de construção.

 

O eletricista Gerardo Magalhães, amigo de Darlan que estava ao lado dele no carro, contou que os dois eram amigos de infância. Darlan estava em Paracuru depois de muitos anos ausente. “Fazia tempo que a gente não se via. Como ele foi o primeiro da turma a se casar e o primeiro a ser pai, ele teve que assumir essa responsabilidade. Ele foi morar com a mulher que ele vive… Vivia, né?” (colaborou Thadeu Braga)

 

O quê

 

ENTENDA A NOTÍCIA

 

Morte do jovem em consequência de tiro disparado por um cabo, no município de Paracuru, será investigada pelas Polícias Civil e Militar. A Controladoria Geral de Disciplina (CGD) também acompanha o caso.
A Delegacia de Paracuru instaurou inquérito sobre o crime, que será investigado pelo delegado Francisco Braúna. O POVO tentou entrevistar o delegado, no fim da tarde de ontem, mas ele não se encontrava mais na delegacia .

 

Serviço

 

Informações que possam ajudar a esclarecer o caso podem ser repassadas à CGD

Telefone: (85) 3101 5028

 

Fala, internauta

”O policial militar como qualquer outro profissional está sujeito ao erro,não é primeira vez nem vai ser a última. Cobram como fosse polícia de 1° mundo e pagam e dão condições de trabalho como fosse polícia de 3° mundo”.

 

Sidney Lima Melo

 

“Quer dizer que se eu desviar de uma blitz eu ou alguém que estiver comigo tem que morrer?”

 

Jefferson Rocha

 

“Lamentável, mas concordo que o erro inicial foi fugir da blitz! Quem o faz tem que arcar com as consequências”.

 

Hamilton Macedo de Melo

 

“Vergonha, mais uma prova do despreparo da polícia, ninguém tava armado no carro. Espero e rezo para que o corporativismo não prevaleça”.

 

Fernando Duarte

 

Saiba mais

 

A missa de sétimo dia em intenção de Darlan de Castro será celebrada no próximo sábado, 3, na Igreja Matriz de Paracuru.

 

De acordo com Gerardo Magalhães, amigo do jovem, moradores pretendem fazer uma caminhada de protesto. O cortejo seguirá até a igreja.

 

Gerardo, que estava no banco traseiro ao lado de Darlan no momento do crime, contestou a versão do PM de que o tiro foi acidental e disparado quando ele caiu da moto. “Essa foi a versão que ele contou, mas nós, que somos as vítimas, não vimos isso. Não vimos ele no chão nem caindo”, contou ao portal O POVO Online.

 

O povo

 


DHomem

3 Comentários

  1. o próprio PM assume a culpa após fugir do local sem presta socorro a vitima!
    e nada justifica a maneira abusiva de suas abordagem, essa foi a primeira vitima fatal existe varias outras entre elas ate um deficiente visual,q perdeu a visão após uma abordagem desse PM. mas infelismente prevalece o corporativismo e justiça só se for a de DEUS!

  2. Parece ser prática da PM-CE atirar para depois saber que(m) é/são a(s) pessoa(s), quem não lembra do PM do ronda que matou aquele garoto Bruce que vinha na garupa do moto do pai, no cruzamento da Av. Santos Dumont, tem ser expulso e julgado por crime doloso. Se o mesmo diz que atirou acidentalmente é pq já vinha com a arma em punho e destravada e apontando em direção do carro, mas acreditar nessa versão é só mesmo quem acredita em papai-noel, mula sem cabeça, dentre outros. Tem que ser expulso e julgado do crime doloso.

  3. Gente sou amiga de infencia desse garoto conheço Arlan o irmao dele por favor gostaria muito que entrasem em contato comigo 085 988634038. Á 6 anos nao os vejo mas recente fui tentar encontralos e soube dessa tragica noticia.

Deixe um comentário