Complexo Solar: 40% da mão de obra serão de Quixeré

0
Compartilhe

imageA construção do Complexo Solar de Apodi, no município de Quixeré, deverá empregar, em suas duas fases, 1,1 mil pessoas. A expectativa é que 40% da mão de obra sejam da própria cidade. As oportunidades são para ajudantes, auxiliares, eletricistas, montadores, motoristas, e técnicos em geral e o processo de seleção será feito, exclusivamente, por meio do Sine de Limoeiro do Norte. A obra começou em 4 de outubro e deverão ser concluídas até novembro de 2018.

Localizado no Vale do Jaguaribe, a 218 quilômetros de Fortaleza, o empreendimento tem investimento estimado em R$ 700 milhões e terá capacidade de geração de 162 megawatts (MW), suficientes para atender 160 mil residências.

Do valor total que será investido, cerca de 65% (R$ 477,4 milhões) foi financiado pelo Banco do Nordeste, por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O restante é de responsabilidade dos sócios na proporção da participação de cada um.

Empresas

O complexo é uma fruto de uma parceria entre as multinacionais norueguesas Scatec Solar e Statoil, a holding Apodi Participações, que é composta pela pernambucana Kroma Energia; pela paraibana Êxito Importadora e Exportadora S/A (do grupo Federal Petróleo); e pela goiana RP Participações, ligada ao grupo Total Energia.

Juntas, as três empresas brasileiras detêm 12,5% do negócio, enquanto as multinacionais respondem por 87,5%. O Complexo de Apodi foi assegurado no processo de leilão licitado pela Aneel em novembro de 2015. Foi firmado um Contrato de Reserva de Energia (CER) para 20 anos com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), com preço de entrega da energia de R$ 302/MWh, corrigido pela inflação (IPCA).

A escolha de Quixeré, município com pouco mais de 20 mil habitantes, aconteceu como consequência da parceria comercial entre a Kroma e a Cimento Apodi, empresa do Grupo M. Dias Branco, proprietário de 800 hectares onde está sendo instalado o complexo. Primeira parceria firmada entre o consórcio Apodi Participações e as norueguesas Scatec Solar e Statoil, o Complexo de Energia Solar Apodi deverá ter sua capacidade instalada ampliada já em um próximo leilão de energia elétrica a ser realizado pelo governo ainda este ano.

Scatec Solar

Com sede em Oslo, na Noruega, a Scatec Solar até então não operava no País. A empresa é uma produtora independente de energia solar cujas usinas em operação produzem 322 MW de energia.

E conta com um histórico de instalação de cerca de 600 MW. Atualmente atua no segmento de produção na República Tcheca, África do Sul, Ruanda, Honduras e Jordânia.

Já a Statoil já tem uma forte presença na exploração de petróleo no litoral brasileiro, com capacidade de produção de aproximadamente 100 mil barris por dia. O complexo de Apodi é o primeiro projeto de energia solar da empresa no mundo.

Diário do Nordeste


DHomem

Deixe um comentário